<$BlogRSDUrl$>

12/05/2004

Dia Internacional do Enfermeiro 

.
Hoje comemora-se o Dia Internacional do Enfermeiro. Nunca valorizei muito as Efemérides, mas esta data é para mim muito especial. Não por mim ou pelos outros enfermeiros que actualmente trabalham nos hospitais e centros de saúde. Para nós, está presente a necessidade de saber ser Enfermeiro todos os dias e não é uma data em particular que destaca todo o esforço desenvolvido pela nossa classe profissional na Promoção da Saúde em Portugal.

Temos o que merecemos e a resposta da Sociedade é directamente proporcional ao trabalho por nós desenvolvido. Somos responsáveis pelo nosso Reconhecimento, mas somos também responsáveis pelas nossas falhas. Mas considero este dia especial, pelos Enfermeiros já reformados. Se hoje temos um Presente, tivemos necessariamente um Passado. Alguns destes Enfermeiros foram referências fundamentais no ínicio da minha carreira profissional. Os seus exemplos foram as razões fundamentais pelo qual escolhi esta profissão. Apesar de muitos não terem formação académica ou conhecimentos sobre Modelos e Teorias de Enfermagem, com eles aprendi a importância do Cuidar.

No seu Empirismo, encontrei muitas vezes bom senso e um profundo saber das especificidades humanas. Se os registos não traduziam muito, havia uma conhecimento que passava oralmente, apoiado na memória e na dedicação. Sabiam tudo sobre os seus doentes, fruto da sua iniciativa pessoal. Se não faziam Planos de Cuidados, nunca os vi esquecer de os prestar. Sendo um conhecimento não sistematizado,também nunca os vi tratar os doentes de forma igual. De acordo com as especificidades de cada utente, assim eram as suas respostas. Actualmente, a Enfermagem evoluiu muito e as estes Enfermeiros muito deve.

Por vezes, somos críticos em relação aos seus defeitos (também os tinham...) e somos arrogantes com os nossos novos saberes e competências. Estes são realmente necessários para os desafios que hoje a Saúde enfrenta (a Pobreza, a Miséria, a Ignorância, a Fome...), mas estes saberes não bastam se entretanto perdermos a essência da Enfermagem pelo caminho. A geração de "Yuppies" a que pertenço, está sujeita a tentações, em que uma postura corporativista, por vezes, tem-nos posto em primeiro lugar em relação aqueles que jurámos proteger.

Nas urgentes Reformas da Saúde, muitas vezes temos abdicado das nossas responsabilidades, por um conforto assaz mesquinho. talvez ainda vamos a tempo de o recuperar, e possamos ter maior intervenção no Futuro, em conjunto com as nossa Instituições Representativas (Ordem dos Enfermeiros, Sindicatos...). É que o Presente de hoje é o Futuro dos nossos colegas que hoje estudam Enfermagem. Gostaria muito de conseguir fazer por eles, o que outros fizeram por mim.

A eles muito devo. Aos meus colegas reformados o MEU MUITO OBRIGADO!

UM BOM DIA para quem nunca deixou de ser ENFERMEIRO.

Com Amizade, Carlos.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?